• Heli Gonçalves Moreira

Coronavírus – O mal invisível e o inconsciente coletivo!

Olá!


Tenho uma opinião formada sobre a pandemia que resolvi compartilhar, abordando um conjunto de fatos e fakes, os quais você certamente está cansado ou cansada de ouvir, ler, ver, sentir e aguentar.


Diante da proporção da pandemia não é possível me omitir, pois isso me deixaria muito desconfortável.


A vida me ensinou que as coisas óbvias, em especial aquelas extremamente óbvias, são as mais fáceis de não serem percebidas pelas pessoas, que acabam aceitando e se acostumando com elas.


Esse é o caso da pandemia e de tudo que está ao seu redor.


As pessoas ouvem, leem a respeito, veem, sentem e não levam em conta, aceitam e se acostumam. É o inconsciente coletivo agindo de forma contagiosa.


Todos sabem o que é preciso fazer para reduzir a contaminação e suas nefastas e mortais consequências, mas somente uma minoria consegue manter a consciência e seguir os protocolos editados por quem tem competência para fazê-lo.


O que podemos esperar da maioria dos nossos governantes, eleitos ou contratados, em todos os níveis, federal, estadual e municipal e em todas as áreas com poder de atuação, executivo, legislativo, judiciário, ministério público?


Lamentavelmente não mais do que as trapalhadas que estamos assistindo a todo o momento. Não mais que omissões e mentiras de alguns em defesa de interesses pessoais, políticos e escusos.


Assim, independente das vacinas, igualmente envoltas nas trapalhadas das autoridades, compete a nós, humildes mortais, dar uma solução que resulte na redução do ciclo de vida dessa famigerada pandemia.


Para tanto precisamos fazer o que tem que ser feito e isso nós estamos cansados de saber.


Basta seguir os protocolos e instruções técnicas, cada um individualmente até formarmos uma massa crítica constituída por uma maioria de pessoas conscientes e atuantes.


Nessa empreitada é essencial que aqueles que podem, influenciem e contagiem a maioria ao seu redor, presencialmente ou à distância, para o rigoroso cumprimento dos protocolos e instruções técnicas para a prevenção.


A regra é muito simples: diariamente, a todo o momento e em todas oportunidades, lembrar-se e lembrar os outros ao seu redor para cumprir e fazer cumprir os protocolos e instruções técnicas, como: uso de máscara, distanciamento social, não aglomerar, lavar as mãos, higienizar e desinfetar tudo o que tocar etc. etc. etc...


Essa regra representa a prática do chamado comportamento seguro, onde cada um se protege e protege os outros.


Somente assim teremos chance de não sermos contaminados e não contaminar os outros pelo maldito vírus.


Com isso teremos uma possibilidade verdadeira de vencer a pandemia, substituindo o atual inconsciente coletivo, inconsequente e contagioso por um consciente coletivo consequente, saudável e contagiante.


Não é o caso de desejar boa sorte, mas sim uma boa empreitada para todos nós.


Não é e não há tempo para reflexão, mas sim para agir.


Mãos à obra e abraços!


Janeiro/2021