• Heli Gonçalves Moreira

Que valor tem os sentimentos dos colaboradores sobre a sua empresa?

Como consultor empresarial tive a oportunidade de vivenciar situações inusitadas em relação ao ambiente de trabalho nas quais a falta de informações sobre os sentimentos dos colaboradores sobre a empresa e sobre a liderança resultaram em inúmeros constrangimentos, conflitos coletivos e grandes prejuízos.


Uma dessas situações ocorreu quando de uma visita ao Presidente e ao Gerente de Recursos Humanos de uma grande empresa metalúrgica localizada no interior do Estado de São Paulo.


A visita havia sido agendada pela empresa em caráter de urgência, considerando o risco de uma mobilização sindical e podendo resultar na paralisação das suas atividades produtivas, num momento de alta demanda do mercado.


Durante a reunião o Presidente demonstrou estar visivelmente aborrecido e irritado com a situação, argumentando que a empresa, além de pagar os melhores salários do mercado regional, oferecia uma invejável carteira de benefícios, obtendo, como contrapartida, um baixíssimo nível de engajamento dos colaboradores.


A todo instante ele perguntava aos gerentes participantes da reunião como era possível uma situação surrealista como aquela.


Os gerentes das áreas operacionais informaram que, de acordo com os líderes operacionais, uma parcela considerável dos colaboradores estava engajada à mobilização decorrente da atuação radical das lideranças sindicais.


O Presidente da empresa considerou essa atitude dos colaboradores um absurdo, uma vez que nada de concreto era garantido pelo sindicato, a não ser a possibilidade de se conquistar um percentual de reajuste salarial um pouco acima do que havia sido proposto pela empresa.


Ademais, acrescentou que a última pesquisa de clima organizacional apontou um elevado índice de satisfação dos colaboradores em relação à empresa.


Depois de algumas perguntas que fiz aos presentes percebi que a empresa não contava com meios e oportunidades para os colaboradores externarem seus sentimentos em relação à empresa.


A pesquisa de clima, citada pelo Presidente, por sua vez, permite avaliar as opiniões dos colaboradores em relação aos temas das perguntas formuladas, as quais, na maioria das vezes, não fazem sentido com suas prioridades profissionais e pessoais, enquanto os sentimentos estão relacionados às percepções das pequenas ocorrências do cotidiano das relações no trabalho que, quando acumuladas, sejam elas negativas ou positivas, permanecem latentes nas mentes dos colaboradores, direcionando seus comportamentos e atitudes.


Tanto a pesquisa quanto o diagnóstico são ferramentas úteis de gestão.


Figurativamente a pesquisa é uma foto que registra uma situação num determinado momento, enquanto o diagnóstico é um vídeo que conta uma história com raízes, os sentimentos, muitas vezes profundos e, se negativos, requerem ser conhecidos, analisados e resolvidos ou esclarecidos. Se positivos, os sentimentos devem ser reforçados.


A HGM Consultores desenvolveu uma metodologia através do Diagnóstico do Ambiente de Trabalho, já aplicado com sucesso em inúmeras empresas, capaz de trazer à tona, identificar, priorizar e encaminhar soluções para os sentimentos negativos e fortalecer os sentimentos positivos dos colaboradores.


Na atual situação dessa prolongada crise múltipla, política, econômica e social, a revisão e atualização das políticas e práticas de gestão de pessoas, tendo como uma das referências os sentimentos dos colaboradores em relação à empresa é, sem dúvida, um importante diferencial competitivo.


Afinal, para o engajamento dos colaboradores na construção e manutenção de um ambiente de trabalho saudável, harmônico e produtivo, nada mais útil e eficaz do que conhecer os sentimentos daqueles que dele fazem parte.


Para isso, a melhor forma é criar as condições e incentivar os colaboradores a falar sobre tudo aquilo que os incomodam, de fato. O diagnóstico é uma ferramenta eficaz e produz efeitos positivos de imediato, funcionando como um desabafo coletivo.


As ações posteriores decorrentes do diagnóstico darão início a um processo gradual de reciprocidade em relação ao respeito e à confiança no ambiente de trabalho, base de sustentação para o engajamento das equipes com os valores e metas da organização.


E tudo isso tendo os líderes operacionais como principais agentes catalisadores dos sentimentos dos colaboradores.